Início | Noticias | Noticias | Os malefícios do cigarro

Os malefícios do cigarro

Os malefícios do cigarro

Pessoas que convivem com fumantes também podem contrair doenças relacionadas ao fumo

Mesmo sabendo que o cigarro causa mais de 1.200 mortes por ano e que a nicotina leva à dependência física e psicológica, o fumante encontra dificuldade para largar o vício. E isso acontece porque o consumo desta e de outras substancias cancerígenas geram uma sensação de relaxamento, mas que, em longo prazo, pode se tornar fatal. Pessoas que convivem com fumantes também podem contrair a doença.

A fumaça, assim que é inalada, provoca sérias alterações no organismo do fumante como aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial, por exemplo. E isso faz com que o coração bata com mais força e o fumante possa desenvolver problemas cardiovasculares até chegar a um infarto.

Fumantes passivos

De acordo com o pneumologista, Sérgio Ricardo Santos, presidente da Comissão de Tabagismo da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT), o fumante passivo corre tanto risco quanto o dependente do tabaco. Para ele, não importa quem acendeu o cigarro, mais sim, quem inalou a fumaça.

E neste cenário, há reações que o fumante passivo pode apresentar como tosse, irritação dos olhos, coriza, dor de cabeça e até náuseas e doenças respiratórias. Os riscos aumentam ainda mais quando os fumantes concentram-se em lugares fechados como dentro do carro.

Para abandonar o vício, são necessárias atitudes sérias como determinação, definir uma data específica para começar um tratamento e buscar a ajuda de um profissional que indique remédios que controlem a síndrome da abstinência. Que tal começar hoje?